domingo, 18 de junho de 2017



Na minha idade eu já luto para evitar o pior.

Os mais novos que eu lutam por seus sonhos.

Os mais novos que estes ainda flutuam.

Submerge o tempo.
E e os mais velhos avisam: sobre o que faz submergir.

Quanto mais te avisam que é menos natural à cada época será menos por si e mais um alerta sobre o tempo: - Urgente, ontem vi um ser humano viver em horário de trabalho.

Em alguns lugares viver é um sonho que talvez seja um excedente que o trabalho torne possível somente ao final da vida.

Nasce uma criança: e mais um organograma veio ao mundo.

Sobre viver, guardamos vivos só aqueles que não couberam nos planos do tempo. E é como se o tempo se dividisse para que eles passem.

À margem de tudo isso estão os animais e as florestas. O pássaro se agita ainda pelo gosto de bicar a fruta hoje, ninguém convenceu o pássaro a voar para que talvez um dia bique a fruta. Ainda é pelo gosto de bicar a fruta hoje que tiramos de nós que o pássaro se agita.


                             Imagem: em Rainfall 憂鬱


A primeira parte da vida é sobre chegadas e descobertas, a segunda parte é sobre os sonhos e a terceira é sobre preparar despedidas. No mais ou é velório ou é festa, nem todos estão na mesma parte da história.

E cada eu acontece em segredo misturando cada uma dessas partes.

sábado, 10 de junho de 2017


A vida é uma ponte entre o êxtase e a indiferença... mas uma questão é fundamental, a vida é uma ponte entre dois lados opostos que não servem de margem continental... só quem está na ponte vê enquanto vive e se você estiver de um dos dois lados é naufrágio.

A vida é uma ponte que finge ser um barco porque os vivos estão no máximo em equilíbrio e viver não é sobre chegar em algum lugar... chegar é estar em um dos lados entre dois lados quaisquer e chegar é sempre um pouco sobre naufragar.

A vida é a parte na qual dicotomias são ilustrações lógicas... se estiver em um só lado naufragou em uma ilusão.

Uma vaga impressão sobre existir e se fazer mais tênue a cada dia, mais que isso é um delírio que o tempo irá sujeitar ao julgamento.

Vejamos numa imagem: a vida é o outono, mas eu me vejo como folha e acho que a vida é estar ainda presa à árvore ou em queda livre chegar no chão. Mas a vida é o outono.

terça-feira, 30 de maio de 2017



À noite na estrada
eu sempre estive vazio e pensativo.

Algumas vezes criei raízes em todas as direções, então sempre que só existo em memórias volto a esses momentos.

A vida é egoísta e sobre si mesma, por isso inventamos tantas metafísicas.

Sabe o que me assusta em alguns animais amáveis? Quase nunca o momento é sobre eles... como se vivessem naturalmente amando.

Põe o copo à mesa como quem faz pausa e nesse segundo é inteiro.

Amor é uma dor que existe circular e central ao peito, pode se esvaziar de tempos em tempos num suspiro: passado, presente ou futuro.


                     Imagem: Rafał von Czakata





quinta-feira, 25 de maio de 2017


Via Láctea... mamíferos!

Apesar de tanto brilho amanhã o sol me faz nascer.

Naquela cortina que as roldanas ainda agarram só existo dormindo.

Ainda que lá se repitam tantos encontros aqui está o contraditório: acordado entre nós e às vezes desperto.

Sobre o beijo e toda intimidade talvez queremos guardar segredo, por isso nos impomos tanto sacrifício por amarmos.

Amor se paga com vida, mas alguns com a vida inteira de uma só vez.
Divagações 

terça-feira, 23 de maio de 2017



Apesar dos pensamentos o outono é caprichoso ao soprar as folhas de uma árvore e planta a alma no agora.

Você sorriu se escondendo enquanto atravessei a rua. Presto reverência à sua timidez como reverencio o deus ou deusa que emerge da tua alegria para os que te veem mais do que ao passar.

Eu não sei o nome da alma da Terra e sem nunca precisar chamar ela sempre esteve presente.

A eternidade não foi ao parto e por isso o que nasceu terá que terminar enquanto avista sua parcela eterna: condição sempre presente e mutante.

Até no bolo que eu fiz eu dormi em parte para sonhar além de mim, por fim se me quero eterno é por algo mais do que só eu.

Meu aniversário sempre foi festa para receber outros mais importantes que a solidão.

Ame!